10 posturas que atrapalham o processo de perda de peso

Não consumir água, deixar de se exercitar regularmente e dormir pouco são alguns dos fatores que podem influenciar na busca pelo emagrecimento

Para muitas pessoas, a fórmula do emagrecimento é algo simples: basta comer bem, em pequenas porções e se exercitar diariamente. No entanto, o processo em busca da perda de peso nem sempre é algo fácil, principalmente quando falamos de pessoas com sobrepeso.

No Brasil, conforme dados da Pesquisa Nacional de Saúde (PNS/2019), divulgados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), 6 milhões de pessoas têm excesso de peso, representando 60% da população. Para lutar contra os números, algumas pessoas optam por dietas restritivas, intensificam as atividades físicas e consomem medicamentos.

Entretanto, mesmo seguindo à risca as orientações de profissionais da área da saúde, algumas pessoas ainda não conseguem alcançar o objetivo. Alguns até apresentam uns quilos a menos no começo, mas depois “empacam” e não percebem evolução.

O segredo por trás dessa dificuldade pode estar em detalhes que, na maioria das vezes, passam despercebidos e são essenciais para manter o organismo funcionando bem.

1. Não beber água

Embora beber água seja uma recomendação médica geral, muitas pessoas não cultivam esse hábito na rotina. Manter-se hidratado é importante para o funcionamento do metabolismo, afinal, o corpo humano adulto é composto por mais de 60% de água.

Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), os adultos devem consumir, ao menos, dois litros de água por dia para se manterem saudáveis. Conforme indica o Guia Alimentar para a População Brasileira, criado pelo Ministério da Saúde, é fundamental se atentar para os primeiros sinais de sede e satisfazer a necessidade de água sinalizada pelo organismo.

Para auxiliar nesse processo, a dica é ter uma garrafa de água por perto e ingerir o líquido sempre que necessário.

2. Não se exercitar regularmente

Os exercícios físicos são fundamentais na busca pelo emagrecimento saudável e indicados pela OMS como práticas essenciais para a rotina da população. Segundo o órgão, os adultos devem dedicar, pelo menos, de 150 a 300 minutos por semana para atividade aeróbica moderada a vigorosa. A orientação inclui quem vive com doenças crônicas ou incapacidade.

Além de ser um fator decisivo, sustentar uma vida ativa é um ponto importante para a saúde. De acordo com a Organização Pan-Americana de Saúde, os exercícios físicos são fundamentais para prevenir e controlar doenças cardíacas, diabetes tipo 2 e câncer.

3. Tomar apenas remédios

Atualmente, o mercado farmacêutico conta com diferentes medicamentos que podem auxiliar na busca pelo emagrecimento. Um deles é o Morosil, um ativo natural com extrato de laranjas moro, aprovado pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).

Com eficácia comprovada em uma pesquisa publicada na revista International Journal of Obesity, o medicamento é capaz de reduzir de 25% a 50% da gordura abdominal. No entanto, é importante lembrar que, antes de tomar qualquer remédio, deve-se consultar a orientação de um médico.

Além disso, os medicamentos não devem ser usados como única ferramenta para perder peso. É preciso associá-los a outros hábitos saudáveis, como alimentação e atividades físicas. Assim como recomendam a OMS e o Ministério da Saúde, nenhum método com a finalidade de emagrecimento deve ser utilizado isoladamente.

4. Dormir pouco

Muitas pessoas acreditam que o ideal para perder peso é se exercitar de forma frequente e sem pausas. No entanto, para garantir um emagrecimento saudável, é essencial que o corpo repouse, afinal, é durante o sono que ocorre a liberação de hormônios para regular o metabolismo.

Segundo a Associação Brasileira do Sono, que segue as diretrizes da National Sleep Foundation, adultos a partir dos 25 anos devem dormir entre 6 a 10 horas por dia para garantir que o corpo faça uma pausa e ofereça os benefícios necessários.

5. Deixar de consumir carboidratos

Quando o assunto é emagrecimento, é normal encontrar teorias e receitas que supostamente ajudam na perda de peso. Uma delas é a ideia de deixar de consumir carboidratos. No entanto, para garantir um processo de emagrecimento saudável, é essencial ter uma alimentação balanceada e ingerir uma quantidade equilibrada de todos os nutrientes.

De acordo com cartilha do do Ministério da Saúde, os carboidratos são responsáveis por fornecer a energia para o corpo, essencial para garantir que as atividades do dia a dia sejam realizadas. O guia divulgado pelo órgão ainda indica que o ideal é consumir cerca de seis a 11 porções de carboidratos por dia.

6. Não tomar café da manhã

Assim como a ideia de deixar de consumir carboidratos, muitas pessoas acreditam que deixar de comer qualquer alimento no café da manhã irá ajudar a perder peso.

De acordo com um artigo publicado no site da Faculdade de Nutrição da Universidade Federal de Goiás (UFG), deixar de consumir uma refeição matinal pode promover uma redução de até 30% no rendimento das atividades diárias. A pesquisa também destaca que o café da manhã auxilia na melhora do consumo de nutrientes essenciais para o metabolismo, sendo também um aliado para a manutenção do peso ideal, pois permite uma dieta balanceada.

7. Se alimentar de produtos fit sem praticar exercícios

Os alimentos fit são bastante populares atualmente. Esses produtos geralmente oferecem uma quantidade de fibras, proteínas e calorias que podem ser interessantes para quem está na busca pelo emagrecimento. No entanto, o erro de muitas pessoas é a crença de que, ao consumir esses alimentos e suplementos, não haverá a necessidade de se exercitar de forma regular.

Uma das principais recomendações de órgãos como OMS e Ministério da Saúde é o equilíbrio de hábitos saudáveis com atividades físicas. Sendo assim, além de consumir produtos considerados fit, também é necessário manter o corpo ativo com musculação, corrida ou com quaisquer outras atividades.

8. Não cuidar da saúde mental

A saúde mental também pode ser uma das razões que atrapalham o processo de perda de peso. Segundo o portal Tua Saúde, a ansiedade pode fazer surgir essa barreira, porque diminui a motivação para o estilo de vida saudável e causa episódios de compulsão alimentar, em que o indivíduo acaba comendo abundantemente na tentativa de melhorar o humor e reduzir os sintomas.

Por esse motivo, é importante consultar um psicólogo investigar a causa e iniciar o tratamento mais adequado contra os sintomas de ansiedade e, consequentemente, o aumento de peso. Embora haja um tabu sobre os cuidados com a saúde mental, também é preciso se atentar a esse aspecto.

9. Não manter a constância nos hábitos saudáveis

Na busca pela perda de peso, muitos encontram resultados no início do processo, mas depois de um período, voltam a apresentar números elevados na balança. Segundo a nutricionista e autora do livro “O peso das dietas”, Sophia Deram, após iniciar a mudança de hábitos alimentares e incluir atividades físicas no dia a dia, é preciso manter a constância para que, após o ganho de resultados, o processo não reverta.

10. Traçar metas impossíveis

Para alcançar os objetivos de perda de peso, é preciso ser paciente, pois o processo não ocorre da noite para o dia. Traçar metas é uma das fórmulas mais indicadas para se manter motivado em um objetivo. Mas, é importante que elas sejam realistas.

Algumas pessoas podem demorar para apresentar resultados, enquanto outras irão percebê-los de forma rápida. O segredo é investir em uma mudança de hábitos e procurar auxílio de profissionais, para garantir que o processo será feito de forma saudável do início ou fim.

posturas que atrapalham o processo de perda de peso